As Camélias de Lousada – Um Ode para os Cinco Sentidos

Fazer ou não um cruzeiro no rio Douro em Portugal?
14 Fevereiro, 2019
4 – Boas razões para visitar Portugal no mês de Abril.
2 Abril, 2019

As Camélias de Lousada – Um Ode para os Cinco Sentidos

O Visite Comigo, esteve presente no X Festival Internacional das Camélias de Lousada, vou partilhar com vocês como foi a minha experiência, mas antes disso, gostaria de recuar no tempo com você, onde tudo começou.

Foto – Visite Comigo

Origem das Camélias.

É preciso recuar no século XVIII, quando foi atribuída a designação de camélias (nome latino). Originarias do sul da China, são plantas ornamentais e conhecidas por planta do chá, o género foi descrito pelo naturalista sueco Carl von Linné, em sua obra magna Species Plantarum para homenagear o padre Joseph Camel, naturalista e botânico do século XVII. O cultivo dessa belíssima flor na China é milenar, desde tempos imemoriais a flor já era comercializada no Japão.

Foto – Visite Comigo

Publicidade

Planejar uma viagem no Norte de Portugal, não precisa de ser tão complicado. No aplicativo do Visite Comigo você tem tudo o que precisa ao alcance de um clique, dentro e fora dos roteiros habituais.

Play Store 

App Store 

Lousada Vila das Camélias

Integrada na região do Tâmega e Sousa, é um destino que traz consigo a tradição de outros tempos e salvaguarda o património histórico, religioso, arquitectónico e natural.

Lousada é um destino para ser visitado em qualquer estação do ano, mas na transição do inverno para primavera um toque especial e colorido toma conta da paisagem. As camélias embelezam os jardins, numa paleta de cores, que não passam despercebidos aos olhos dos mais distraídos.

Foto – Visite Comigo

Muitas vezes sem nos darmos conta, vivemos em um mar de obrigações, que nos transtornam e nos desligam de nós próprios. É preciso libertar as sensações, dar lugar para que novos prazeres nos façam sentir inteiros. Essa experiência despertou-me para algo ainda nunca vivido, é preciso dar tempo ao tempo, e foi assim que cheguei à Lousada.

O emblemático Jardim do Senhor do Aflitos, no Centro Histórico de Lousada, estava mesmo ali diante de mim, tão lindo, naquela manhã ensolarada de primavera, que apetecia-me deitar naquela grama verde, debaixo de um daqueles exemplares de arvores de camélias, exposto a céu aberto, e tirar um sono, ao som daquele vento suave que ondulava as folhagens.

Foto – Visite Comigo

Isso era o que eu queria, mas decidi, perder-me entre tantas espécies de arvores, que estavam em perfeita harmonia com as camélias. Naqueles breves instantes meus cinco sentidos foram ativados. O meu olfato foi preso pelas aromáticas camélias, ao mesmo instante que os meus olhos já estavam cativados pelo conjunto de cores, meu tato já não se continha, era preciso estender as mãos para sentir a textura das pétalas.

Serpenteando o jardim, ouço um som suave entre as flores, era um fontanário, entre pedras que refrescava com a aveludada brisa matinal naquela manhã quente. Eu ainda não sabia, mas meu paladar iria provar as maiores iguarias produzidas a partir das camélias. Foi neste momento que descobri que Lousada – Vila das Camélias é um Ode para os Cinco Sentidos.

 

Foto – Visite Comigo

Fim de semana gastronómico

Os vinhos verdes e a gastronomia neste destino, caminham de mãos dadas, e completam-se entre sabores e sensações. Durante o fim de semana gastronómico o cozinho à portuguesa foi rei, acompanhando do saboroso leite de creme. Lousada presenteia-nos com uma gastronomia de excelência, cozinhado com arte e saberes de outros tempos.

Foto – Visite Comigo

Exposição das Camélias

Sabe-se que com alguma frequência, são descobertas novas espécies de camélias, há uma variedade muito grande desta linda flor, que aparecem-nos em diferentes tamanhos, cores e formatos. A multiplicidade é tão grande que existem colecionadores espalhado pelo mundo, muitos deles estiveram em Lousada.

Eram muitos os expositores ali presentes e atrevo-me em dizer que, muitos deles são colecionadores de camélias. E só percorrendo pela exposição, pude ver nos olhos dos visitantes desse certame, o brilho nos olhos ao percorrer cada mesa exposta.

Até mesmo eu, sem grandes conhecimentos sobre essa flor, deixei-me levar por aquela atmosfera tão sublime, saiba que até fiz a minha escolha da camélia favorita.

Foto – Visite Comigo

O primeiro dia deste festival foi enriquecedor, lançamento do Vinho da Senhora, entrega de prémios no Concurso das Camélias e uma apresentação de um grupo teatral infantil, cujo o tema era “A Viagem de Camélias”. Confesso que não estava nada a espera de terminar o dia, a tomar um chá de camélias acompanhado de bolachas e compota dessa flor.

Foto – Visite Comigo

Foto – Visite Comigo

Foto – Visite Comigo

Visitas aos Jardins de Camélias

Se o primeiro dia foi bom o segundo foi ainda mais surpreendente, logo pela manhã fomos com um grande grupo, com cerca de 300 pessoas à visitar os jardins, que para mim são verdadeiros museus de camélias a céu aberto, são eles: o Jardim do Senhor do Aflitos, Casa de Cáscere, Casa de Vila Verde e Casa de Vilar.

Foto – Visite Comigo

Era preciso mais tempo para percorrer cada arvore de camélia nos jardins, observar os pormenores de pétalas e os diferentes formatos, sai de lá com uma certeza, por mais tempo que eu tivesse nunca seria o suficiente para aprender tudo sobre essa flor.

Foto – Visite Comigo

O Norte de Portugal, neste caso Lousada, foi e é até os dias de hoje de uma riqueza patrimonial, no que concerne a arquitetura, em especial casas senhoriais e solares. Muitas dessas casas, remontam os séculos XVII e XVIII, onde dentro de suas paredes, muitas delas em pedras, guardam relíquias de família nobre e grandes obras de arte, a presença das camélias nos jardins, testificam a riqueza dessas famílias. Ao que se sabe a região do Douro, Sousa e do Minho, é o destino onde existem a maior concentração dessas casas.

Foto – Visite Comigo

Foto – Visite Comigo

O Festival terminou com chave de ouro, com desfile infantil com tema das camélias e uma performance teatral “Flores do Alcorão” no Centro Interpretação do Românico. Um agradecimento especial a C.M. de Lousada, na pessoa da Drª Cristina Moreira e toda sua equipa, por toda amabilidade com que me receberam.

 

Veja o video completo da experiência.

Os comentários estão fechados.